Subscribe:

sexta-feira, 15 de março de 2019

POLÍTICA: Danilo Cabral despede-se da presidência da Comissão de Educação

Em sua despedida da Comissão de Educação,
Danilo Cabral participou do descerramento de
sua placa na galeria de presidentes
(Foto: Divulgação/Reprodução) 
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
charlesnasci@yahoo.com.br

O deputado Danilo Cabral (PSB-PE) participou, na noite da última quarta-feira (13), de uma reunião da Comissão de Educação da Câmara Federal que marcou a sua despedida do comando do colegiado. Durante a sessão, houve o descerramento da foto do parlamentar na galeria dos presidentes da comissão. O novo presidente desta Legislatura é o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB-PB). A escolha da presidência das comissões permanentes é feita com base no resultado da última eleição para a Câmara e no princípio da proporcionalidade partidária. Ou seja, o tamanho de cada bloco partidário na Casa define quem escolhe primeiro e quantas comissões cada um terá.

Durante seu mandato, iniciado no ano passado, o parlamentar realizou um total de 56 reuniões e aprovou 116 proposições legislativas. Danilo Cabral pontua que, mesmo sendo uma gestão curta, espremida pelo calendário eleitoral, foi possível colocar em marcha um agenda intensa de atividades. "Nosso trabalho combinou a agenda estratégica, envolvendo os temas estruturantes para a educação brasileira com os temas do dia-a-dia, da atualidade", explicou. Danilo Cabral ainda ressaltou que a perspectiva de redução drástica de recursos apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro coloca em risco os avanços obtidos nas últimas décadas.

"É preocupante a escalada autoritária contra a liberdade de cátedra e o livre pensamento. A convivência democrática, o respeito às diferenças e o debate plural são parte da tradição histórica dessa comissão". A partir de agora, o parlamentar continua na Comissão de Educação como membro suplente, mas seguirá sugerindo medidas para o setor. No mês passado, Danilo protocolou um PL que determina que os recursos da contribuição ao salário-educação sejam distribuídos aos estados e municípios de forma proporcional à quantidade de alunos matriculados na educação básica.